terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Atari Portifolio

O desejo de se criar um computador que fosse portátil é mais antigo do que a maioria das pessoas pensam. Em 1989, a Atari havia lançado no mercado americano o Atari Portifolio, um computador tão pequeno que era do tamanho de uma fita de videocassete.



O sistema operacional era bastante semelhante ao MS-DOS e vinha instalado os seguintes aplicativos: agenda de contatos e de compromissos, calculadora, editor de textos e planilha eletrônica. O seu preço em 1989 era de US$ 399. Pelo preço e pelos cartazes de propaganda que pude achar na internet, acredito que o público-alvo que a Atari visava alcançar com este produto era o público de empresários ou executivos.





O Brasil na época do Portifolio

Naquela época, as pessoas daqui do Brasil mal podiam sonhar com um 386 (que viria somente entre o início e meados dos anos 1990). Acho que nem quem tinha dinheiro no Brasil poderia ter condições de comprar este tipo de computador, o que o torna muito raro de se encontrar por aqui.Quem, no Brasil, tivesse interesse de comprar um computador, teria que se contentar com as versões nacionais fabricadas por aqui.

Em uma pesquisa rápida no e-Bay, pude encontrar um desses usado por pouco mais de US$ 50. Deu vontade de comprar, mas, como os impostos no Brasil estão no nível da sacanagem indiscriminada, acabei deixando essa idéia pra lá... pelo menos por enquanto. Parece-me que ainda não estamos muito distantes da época da chamada reserva de mercado...


O palmtop do rebelde e adolescente Salvador da humanidade

Se você assistiu ao filme O Exterminador do Futuro 2, vai se lembrar do menino que fez o papel do personagem John Connor enquanto ainda era adolescente. Antes de ser salvo pelo T-1000 (papel do Arnold) e de tentar resgatar sua mãe no Hospício de Pescadero, ele saía de moto pelas ruas de Los Angeles com seu amigo e roubava caixas eletrônicos para jogar video games com seus amigos num shopping.




Se ainda não se lembra do personagem, com certeza vai se lembrar daquela cena em que o menino usa um computador para hackear um caixa eletrônico e conseguir dinheiro. Pois então, esse computador foi o Atari Portifolio. Ele reaparece neste mesmo filme quando o mesmo personagem hackeia um cofre para pegar uma chave que abre um outro cofre.

Recentemente, fiz uma pesquisa sobre o assunto e tanto o filme quanto o Portifolio despertam uma curiosidade estranha sobre algumas pessoas (e provavelmente eu estou incluso neste nicho). Um grupo de pessoas tentou recriar o programa “PIN Identification Number”, um cabo e o cartão que o personagem usa no filme nos mínimos detalhes (!?). Vai entender...