terça-feira, 14 de julho de 2015

Exterminate - Brave New World - Cavernna







Camiseta Exterminate e Brave New World
Cavernna
Está à venda aqui: http://www.cavernna.com.br/
Página no Facebook: https://www.facebook.com/wearcavernna

Meu cartucho de Alamogordo - Atari Dig

Chegou hoje o meu cartucho desenterrado do aterro de Alamogordo. Êeeeee.

A "lenda urbana" sobre a qual a Atari tinha enterrado vários cartuchos no meio de um deserto nos EUA provou-se ser verdadeira em 2014 quando desenterraram - até onde se sabe - pelo menos uma parte do que havia sido enterrado lá.

Logo quando soube das histórias quis ter um cartucho meu vindo de lá. Isto só foi possível depois que a prefeitura daquela cidade passou a leiloar tudo no e-Bay. No documentário "Atari: Game Over" o prefeito da cidade tinha anunciado que iria fazer isto.


Uma vez no e-Bay, li no site a frase que mais temia "this item may not be shipped to Brazil". Mandei uma mensagem pro vendedor e ele disse que enviaria sem problemas. Então fui procurar entre os itens que ele estava vendendo um item para o qual não tinha sido dado nenhum lance, até porque, não queria pagar muito por algo que, na realidade... era apenas lixo desenterrado!

Infelizmente os cartuchos do jogo do E.T. eram os mais cobiçados e tinham maior numero de lance. Escolhi um outro jogo qualquer, até porque, quem iria realmente jogar um jogo que provavelmente não estaria mais funcionando depois de décadas enterrado?


As fotos abaixo são do cartucho que comprei, Warlords. Veio fechado num saquinho plástico ziplock, com uma pasta que continua um certificado de autenticidade, uma redação do Joe Lewandowski que conta toda a história do primeiro caso de arqueologia envolvendo videogames, mais umas cópias de jornais de Alamogordo e El Paso que noticiaram quando a Atari começou a enterrar tudo.

 

sexta-feira, 10 de julho de 2015

Italian wanted to be Brazilian… and ended up murdered :(

This story has some years, it took place not too far away from I used to live at then. Whenever I remember it, it makes me sick. Ain’t no fairy tale…

Once upon a time there was a boy in Italy who came up to be a big fan of Brazilian culture. The years came and he decided to move here for good. Tomasso Lotto was just 26 years old when he finally came to Sao Paulo.

His arrival was on July 20th, 2012, a Friday. By Monday he was shot during an attempt of stealing his car. Unfortunately, he died at the same moment.

What makes me sick about this story is that this is not the first time that happened and it is sad to learn that many foreigners are attracted to Brazil by a untruthful propaganda of a “peaceful country”.

Brazil has around 50.000 deaths in the traffic alone. Add the other numbers to this, such as the victim killed by criminals, careless doctors, hungry, thirsty, and most evidently you have an astonishing figure around 4 to 5 times of the number of soldiers who died in Irak.

In other words, there’s a civil war taking place right here and people do not want to talk about it. They simply ignore it, completely.

The best picture I ever had of a “normal place” was when I went to Gainesville, FL in August 2014. I took one of their newspaper and there was only one notice about a crime in one whole week. Here you have notices of death every day.

Some people are so hypocrite that they blame poverty for all crimes. Ridiculous. My ancestral came from humble origins, they never killed nobody for any reason.

We do not have a weaken police force. They are also the target when it comes to face the criminals. In this country, people is only jailed after receiving their sentence. So, basically, a criminal can be answering for 15 to 20 crimes at the same time… that he is committing other crimes.

Seriously: the law around here challenges the common sense.

quinta-feira, 9 de julho de 2015

Revolução de 1932

Em tempos de comemoração à revolução constitucionalista de 1932, resolvi aqui publicar alguns dos discursos e músicas mais famosas criadas época. Para ver a playlist completa no Youtube, acesse: https://www.youtube.com/playlist?list=PLuQh6Kl-A1ZpB9RZwKBM0sawtNB_Yy3Ep


#1 - Redenção Hino da exortação forças do MMDC




#2 - Discurso de João Neves da Fontoura




#3 - Passo do Soldado Paulista



#4 - Paris Belfort



#5 - Discurso José de Alcantara Machado



#6 - Hino Acadêmico



#7 - Hino do Partido Constitucionalista



#8 - Discurso de D Duarte Leopoldo e Silva



#9 - Trem Blindado



#10 - Exortação



#11 - Metralhadora



#12 - Anistia

quarta-feira, 1 de julho de 2015

Como reciclar sua iluminária de emergência

Quando compram-se uma luminária de emergência, é possível que a maioria dos consumidores atentem-se apenas ao aspecto do preço, sem fazer muito julgamento de quanto tempo o produto pode durar, e como descartá-lo sem agredir o meio ambiente.

Infelizmente a maioria das pessoas não sabem como "esticar" a vidaa útil destes aparelhos que estão se tornando cada vez mais comuns nos lares e nos estabelecimentos.


Por exemplo, deixá-lo conectado diretamente na tomada pode fazer com que a bateria dure por um período cada vez menor. Em 2009 ganhei do meu tio uma lanterna de se prender na cabeça e o aparelho dura até hoje. O motivo: a cada três meses eu deixo a lanterna descarregar até o fim e depois carrego-a novamente. Coisa semelhante eu também faço com estas iluminárias de emergência.


Mas chegará o dia em que até mesmo as baterias destes aparelhos não durarão mais do que 10 ou 20 minutos de autonomia. É neste ponto em que as pessoas podem se sentir motivadas a descartar o aparelho e adquirir outro para substituiição do anterior.

O descarte correto deste aparelho deve levar em consideração a bateria que existe dentro dele. Existem lixeiras especiais em alguns lugares (inclusive supermercados), pois pilhas e baterias não devem ser descartadas junto com lixo recliclado ou orgânico.


Até este ponto estamos falando apenas da bateria. À princípio, não há nada de errado com o resto da iluminária que funciona muito bem. Uma primeira alternativa seria comprar outra bateria, mas o custo não compensa. Uma bateria avulsa custa em torno de 15 reais, enquanto toda a iluminária nova pode ser encontrada por 19 ou 20 reais.


Para quem não quer descartar a iluminária, ainda há algo o que fazer com ela: transformá-la numa lanterna de parede. O princípio é simples: substituir a bateria interna da iluminária por uma outra de 9V. Porém, uma vez feito este procedimento, você não poderá deixar a iluminaria conectada na tomada ou tentar recarregá-la (daí o nome de lanterna). O vídeo abaixo mostra como isto é feito.