segunda-feira, 26 de outubro de 2015

A morte do Glenn #TheWalkingDead #S06E03

Pelo que pude assistir do episódio acima, vejo duas possibilidades: ou o Glenn deu um jeito de se esconder dentro da lixeira sobre a qual ele estava antes de cair, ou este foi mesmo o seu fim. Eu fico com a segunda opção, porque apareceu claramente suas tripas sendo comida pelos zumbis.

A morte do Glenn era algo que ninguém previu e surpreendeu a todos. É conseqüência direta do desejo do Rick Grimes de tentar se impor ao povo de Alexandria, em particular uma mulher que apanhava do marido. Rick pode ser um bom líder de grupo de sobrevivência quando está na mata, sabe tomar decisões rapidamente e se virar com o que têm, mas quando se trata de viver em civilização é um desastre total e ele não merece o lugar da Deanna.

Foi idéia dele de liquidar com os zumbis na forma que foi executada, foi ele quem recrutou e convenceu as pessoas de Alexandria de que este plano seria o melhor. Algo teria que ser feito cedo ou tarde, porém, não consigo tirar da cabeça a possibilidade de que, se todos tivessem ficados quietos dentro dos muros de Alexandria, ninguém teria morrido e os próprios zumbis teriam liquidado da “Turma dos Lobos”.

Isto mostra que em muita coisa o Carter e Tobin outras pessoas que desconfiavam do Rick estavam certos. Outros que confiavam nele, como o Glenn e Michonne, estavam errados. Saber sobreviver no lado de fora dos muros de Alexandria não dá a certificação de que o individuo reúne todas as qualidades necessárias para sobrevivência. Afinal, qual seria o objetivo de sobreviver, senão para se reunir com outros sobreviventes e formar uma comunidade? É neste contexto em que Darryl percebe que a liderança do Rick é podre e está arruinando tudo o que foi erguido em Alexandria até então. De alguma forma, me parece que até aquela menina Enid sente que o lugar vai virar um problema, por isso resolveu partir.

Entre os que estavam ao lado de fora de Alexandria no momento do ataque, o Rick foi o único atacado pela “Turma dos Lobos”. Um dos que o atacou, inclusive, foi um dos sujeitos que Morgan poupou da morte e, ao fugir, pegou uma arma que estava no chão das ruas de Alexandria. Mesmo com tanta experiência e conhecimento que tem sobre sobreviver ao lado de fora, ninguém entre os que o Rick confia mais – Darryl, Michonne, Sacha – possui plena capacidade de sobrevivência quando se trata de uma horda de zumbis. E quem teria, a esta altura do apocalipse?

Chama atenção com relação ao fato do Rick ter dividido as equipes. É completamente diferente de tudo o que tem feito até então. Se nos lembrarmos no final da segunda temporada, quando estavam todos se abrigando numas ruínas à noite, após a fazenda do Hershell ter sido atacada, aquela ocasião foi quando Rick falou sobre ficarem juntos e nunca mais sair correndo por aí sozinhos quando houver perigo.

Depois daquilo houve outras situações semelhantes, de forma que sua atitude de manter as pessoas separadas o tempo todo causou estranheza a todos. E há muita coisa estranha acontecendo com o Rick. Existe a possibilidade de que ele esteja tentando se livrar de algumas pessoas das quais ele não simpatizou. Uma conversa que ele teve com o Morgan, sobre não ter precisado matar Carter porque “pessoas como ele morreriam de qualquer forma” sinaliza que ele aceitou a participação de Carter sabendo que ele não tinha a preparação necessária para sobreviver ao lado de fora dos muros de Alexandria.

O comportamento da Carol também é estranho. Sua vizinha Sharon, que vivia enchendo o saco de todos por causa de uma máquina de fazer spaghetti, foi provocada pela Carol sobre seu hábito de fumar dentro de casa. Por qual motivo houve esta provocação?

Uma coisa que geralmente ocorre quando um novo membro tenta se associar num grupo é ele desempenhar algum tipo de atitude para que sua presença seja aprovada o quanto antes. Isto foi o que aconteceu, por exemplo, quando dois prisioneiros da cadeia de West Geórgia tentam fazer amizades com as pessoas do grupo do Rick. Situação semelhante ocorreu quando Tyreese e Sacha entraram em Woodbury. Carol e Rick não estão interessados em impressionar ninguém e considero este comportamento extremamente estranho e suspeito.


Sobre sua mão ferida, acho ridículo nessa altura da série considerar a possibilidade de que ele foi infectado. Desde o fim da segunda temporada, sabemos pelo Rick que o Dr. Jenner havia lhe contado que todos estão infectados. Ora, se todos estão infectados, o que mata não é a mordida. Foi por este motivo que Hershell sobreviveu tanto tempo, porque seu membro havia sido amputado. A mulher do Morgan não sobreviveu, provavelmente, porque não recebeu o tratamento médico adequado.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Parque do Ibirapuera


Fiz este vídeo em 2013, não tinha publicado antes, até porque, a qualidade dele deixa bem a desejar. Se estiver pensando em comprar aquela câmera chamada "Filmadora Proteste modelo 683", use o vídeo acima como referência. Esta câmera era o tipo de coisa com a qual andava direto pra todos os cantos porque, literalmente, se alguém me roubasse, eu não sentiria falta alguma. Vendi a minha no Mercado Livre há alguns anos, até que recebi um bom valor por ela, mas não se engane, este lixo foi oferecido como brinde por uma associação de consumidores chamada Pro Teste, sediada no Rio de Janeiro. Além de ONG, eles também oferecem uma revista e, com a assinatura, você ganha uns brindes. Esta filmadora foi distribuída como brinde, se não me engano, por volta de 2012. Mas já era coisa ruim e de baixa qualidade desde aquela época.

Voltando ao Ibirapuera, não só fiz o vídeo acima, como também vários outros, a maioria de cenas de entardecer ou amanhecer, cenas urbanas, metrô, pessoas, etc. A câmera filmava direto por 45 minutos antes de desligar automaticamente, sem esquentar ou coisa parecida, então era legal "brincar" com ela.


segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Just Survive Somehow #TheWalkingDead #S6E02

Tal como já era esperado, a “turma dos lobos” constitui numa ameaça com a qual os habitantes de Alexandria tiveram que lidar. Mas este último episódio não se tratou deste bando de loucos, e sim sobre os moradores de Alexandria. Se a morte do Pete pode ter dividido aquela comunidade de Alexandria, agora com este ataque certamente seus habitantes ficarão mais unidos. Este último episódio mostrou o quanto as pessoas podem mudar completamente diante das dificuldades e quando querem. Na ausência do Rick Grimes, Daryl, Abraham, Michonne e Sacha, o restante do grupo sabe sobreviver muito bem. Ou pelo menos tentam. Vejamos caso a caso:

Morgan: de um assassino arrependido passou a compreender que certas pessoas simplesmente não merecem viver ou são perigosas demais para tal. Quando ele deixou viver duas pessoas que tentaram agredi-lo quando estava só no meio da mata, decidiu faze-lo para não viver com a consciência pesada (ou mais pesada do que já deveria ser). A título de comparação, a Carol compreende muito bem que há certos tipos com os quais não se deve se envolver, tanto que resolveu matar a menina antes que ela se tornasse uma sociopata.

O padre Gabriel deu uma reviravolta surpreendente e foi pura verdade quando admitiu que o que ele disse à Deanna dizia respeito a si e não ao Rick. Seu gesto de ter pedido ao Carl para ensiná-lo a sobreviver, e este ter respondido que começariam com uma machette, remete à situação de quando ambos estavam dentro da igreja, sozinhos apenas com a Michonne e a Judith enquanto o resto do grupo foi à Atlanta e a outra parte foi em direção a Washington. Me parece que o padre finalmente superou o choque que teve por ter sido o único de sua congregação a sobreviver e de ter visto Gareth e outros sobreviventes de Terminus terem sido esfaqueados dentro da igreja. Mas sua aproximação com Morgan pode estragar este crescimento pessoal. Carol serviria melhor como guia do que Morgan.

Já a Deanna é uma líder nata e seu único defeito foi ter passado tempo demais dentro de Alexandria cuidando da gestão da comunidade e das pessoas. Ela não tem medo e vai evoluir muito pela frente. Mas isto não elimina uma eventual disputa entre ela e Rick sobre quem continuará na liderança de Alexandria. Mas é bem provável que tal disputa nem venha a acontecer: apesar de ambos terem perdido seus cônjuges, os dois ainda têm filhos e este tipo de prioridade vem antes do ego. 

Ron não aceitou a morte do pai, não aceita a aproximação de sua mãe com o Rick e, para piorar, se sente frustrado pelo fato da Enid estar mais interessada no Carl do que nele. O lado “bom” é que, aparentemente, Enid não quer ficar em Alexandria, ao passo que o bilhete que ela deixou para o Carl (“Just Survive Somehow”) mais parece uma nota de despedida do que um conselho dado por escrito. Se ela realmente fugiu, é possível que Ron vá atrás dela.

sábado, 17 de outubro de 2015

Iluminária de led feita com cartucho de tinta de impressora


Aqui vai um projeto simples inteiramente feito de Restos! A ideia é fazer uma iluminária de led inteiramente feita com restos de outros aparelhos e que funcione com power bank.

Aparelhos reaproveitados:
- 1 cartucho de tinta da Epson;
- 1 iluminária de emergência;
- 1 mouse com conector USB;

OBS: o cartucho já estava  vazio, a iluminária e o mouse já não funcionavam mais.

Nesses dias achei um cartucho de impressora da Epson e trouxe para casa. Abri o cartucho e tirei o saco de tinta que tinha dentro, além de lavar o casco de plástico para remover o que restou do adesivo do produto. 
Peguei uma placa com vários leds (que eu já tinha tirado de uma iluminária de emergência) e coloquei dentro deste cartucho, colado com uma fita dupla face.

Em seguida adicionei um resistor e um cabo de USB que era de um mouse quebrado. O resistor também foi um resto aproveitado de outro aparelho, mas não lembro qual. A função dele no circuito é impedir que o led se queime com a carga da bateria.

Com tudo pronto, agora tenho uma iluminária que posso deixar acesa quanto tempo eu quiser sem me incomodar com gastos na conta de energia elétrica. Uma boa dica pra quem não gosta de dormir no escuro da noite :)

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

UVB-76



O áudio que aparece no link acima é de uma estação de rádio russa que transmite este barulho estranho em ondas curtas na frequencia de 4625KHz. A primeira vez que foi notada a existência desta estação de rádio foi no ano de 1982, sendo que desde aquela época até o ano de 1997 não havia um nome "oficial" para esta estação, até que uma voz no fundo cortou a transmissão dos "apitos" repetitivos e se identificou como UVB-76 através da seguinte mensagem:

Ya UVB-76, Ya UVB-76. 180 08 BROMAL 74 27 99 14. Boris, Roman, Olga, Mikhail, Anna, Larisa. 7 4 2 7 9 9 1 4

O mistério que gira em torno desta rádio atraí certo número de interessados, muitos dos quais se dedicam a acompanhar de perto o barulho interessante. Existe, inclusive, um website que transmite ao vivo via streamming os sinais desta estação de rádio, haja vista que suas ondas não podem ser sintonizadas de qualquer rádio em qualquer parte do mundo.

Foi algum desses tipos de ouvintes que ouviu o momento em que a voz surgiu ao fundo e identificou a rádio como sendo UVB-76. Acredita-se que o nome verdadeiro da rádio seja UZB-76 e que a pronúncia da letra Z tenha sido confundida.

No dia 23 de Agosto de 2010, novamente, os apitos repetitivos foram cortados e uma voz humana surgiu ao fundo e disse:

UVB-76, UVB-76. 93 882 NAIMINA 74 14 35 74

Acredita-se que estes apitos constantes não venham de um dispositivo conectado diretamente ao transmissor, mas apartir de algum aparelho posicionado ao lado do microfone, de forma que as transmissões sejam feitas ao vivo. Em 3 de Novembro de 2001, uma conversação em russo foi ouvida ao fundo dos apitos constantes:

Eu sou 143. Não estou recebendo o gerador (oscilador). Esta coisa vem do almoxarifado. 

Apesar da "programação" da rádio ser a mesma desde quando foi fundada, ela tem chamado atenção pelo motivo misterioso pelo qual foi criada, isto é, por qual interesse tem os russos em criar uma estação de rádio que fica transmitindo estes sinais?

segunda-feira, 12 de outubro de 2015

Rádio Muda 88,5 FM




Conheça um pouco da história da Rádio Muda, contada por eles mesmos. O áudio aqui reproduzido foi transmitido na noite do dia 11 de Outubro de 2015, por volta das 21h ou 22h.

Acho interessante a iniciativa desta rádio livre, porém, e sem menosprezar, não se pode combater a monopolização dos meios de comunicação com as mesmas ferramentas dos monopolistas. Uma rádio, assim como um jornal ou uma emissora de TV, são meios de comunicação ativo-passivo, ou seja, de um lado tem alguém escrevendo a matéria ou transmitindo um programa, enquanto do outro lado existe apenas um telespectador ou ouvinte passivo, que não escolhe ou tem qualquer forma de controle sobre a mensagem transmitida.

A internet, por outro lado, oferece alguma forma de defesa contra o emissor da mensagem. Em 2013, com a eclosão das manifestações, vimos a emergência de uma nova forma de mídia alternativa e independente que passou a utilizar a internet para divulgar sua mensagem. Diferentemente dos meios de comunicação convencionais, a internet é um meio de comunicação ativo-ativo, ou seja, tanto o emissor quanto o receptor da mensagem podem interagir-se entre si.

Por exemplo, em 15 de maio de 2014 ocorreu uma série de manifestações em São Paulo, não me contive, e escrevi uma carta aberta escrota e degradante um ex-proprietário de um grande jornal, algo do qual depois me arrependi de ter feito. No entanto, e diferente de um leitor de jornal, eu obtive uma resposta, que evoluiu para uma conversa, uma troca de ideias de igual para igual. Este tipo de conversação, tão fundamental e necessária para a evolução da democracia e da liberdade por essas bandas, só poderia ter acontecido por causa da internet, por isso dou preferência a este tipo de comunicação.

O novo Rick Grimes: ame-o ou deixe-o.

Quem assistiu o novo episódio da série The Walking Dead que estreou ontem pode notar o desenvolvimento de uma nova personalidade no Rick Grimes, que já não é mais o mesmo policial do início da série. O primeiro que notou essa transformação foi o próprio Morgan quando disse "ambos somos assassinos". A diferença entre Morgan e Rick talvez seja esta: enquanto para o primeiro "toda vida é preciosa" (frase que disse ao homem que tentou matá-lo e cuja vida ele poupou), Rick Grimes vê as pessoas de forma diferente e está disposto a matar quem se intrometer no seu caminho.

Me parece razoável que após tudo o que ele sofreu ele venha a se transformar no que se tornou. Com a destruição da prisão "West Georgia" por parte do retorno de um inimigo antigo, o Governador, o grupo se separou e depois se reencontraram em Terminus. Mesmo tendo fugido de lá com sucesso, apenas "fugir" não foi o suficiente, pois, se tivesse matado todos os habitantes de lá, a Igreja também não teria sido atacada.

Portanto, Rick Grimes se transformou num assassino frio e calculista. Seu ato de deixar uma arma escondida do lado de fora pode ter parecido uma forma de precaução, mas também de alguém que queria planejar tomar o lugar. Ele próprio disse isso logo quando foram recebidos por Deanna e pelo pessoal de Alexandria.

Rick só se sente seguro quando está na posição de liderança. A idéia de criar um conselho, tal como havia na prisão West Georgia talvez não volte mais. Quem decidir viver com Rick Grimes vai ter que submeter à ele como numa ditadura. As pessoas já sentem isso: Deanna não tomou a decisão de se livrar dos zumbis da pedreira, foi Rick quem o fez, além do fato das pessoas fazerem reuniões paralelas ao invés de discutir abertamente o incômodo que sentem pela liderança de Rick já caracteriza uma ditadura.

Fato é que ele é uma pessoa que já passou por momentos de delírio e parece não estar em controle pleno de suas emoções. A cena em que o menino carimbou uma letra "A" na sua mão, durante uma festa na casa da Deanna, apesar de "A" significar Alexandria o fez lembrar de um outro lugar, um vagão em Terminus e também a letra que pintaram do lado de fora da Igreja, antes dela ter sido atacada por Gareth. É como ele se sente, um animal que não quer ser engaiolado.

Este sentimento de precaução às vezes é compartilhado com outros, e as vezes não. Quando ele deu uma ordem para a Carol roubar três armas do arsenal de Alexandria, o objetivo era para que Carol, Rick e Darryl tivessem uma arma cada um. Isto, em termos de uma civilização normal, já caracterizaria um plano para fazer golpe de estado, e é o que parece estar acontecendo em Alexandria.

Enquanto Carol se disfarça de ser uma mulher fraca, apta apenas a desempenhar papeis comunitários (tal como ela disse na entrevista de admissão com a Deanna), ela está totalmente alinhada com o Rick. De fato, ela tornou-se o seu braço direito. Me parece que o Rick se apaixonou pela mulher que apanhava do marido Pete e tirou proveito da condição dele ser alcoólatra para matá-lo e depois tomar o seu lugar.

Quando Pete apareceu na reunião, já descontrolado, esfaqueou o Reg, marido da Deanna, sem intenção de matá-lo, mas foi o que aconteceu. Rick planejou aquela situação, tanto que a Carol havia ido na casa onde o Pete estava confinado, aparentemente para lhe dar um prato de comida, quando na verdade foi lá para provocá-lo, insultá-lo. Rick precisava matá-lo para ter acesso Jeanna, uma mulher por quem aparentemente acabara de se apaixonar, mas não podia fazê-lo sem motivo, mas depois que o Pete esfaqueou Reg, Rick teve um motivo "legal" para matá-lo. E não foi em livre-defesa.

Passou despercebido às pessoas a forma como os caminhões estavam estacionados na pedreira que servia de confinamento para os zumbis. Com toda evidência os zumbis não estavam ali à toa, mas confinados numa situação criada por alguém ou um grupo de pessoas. Ao final da temporada anterior, dois caras que se consideravam "Lobos" (Wolves) mataram um sujeito de casaco vermelho e também criaram a armadilha onde o Arron e Darryl ficaram presos até serem libertados pelo Morgan. Me parece que estes dois "Lobos" são ótimos suspeitos de terem prendido tantos zumbis naquela pedreira, já que estão "colecionando" zumbis para algum intento ainda desconhecido. Quem sabe ainda, talvez estas sejam as pessoas das quais o Aaron mencionou terem sido expulsas de Alexandria antes do grupo do Rick chegar?

A situação de Ron tornou-se muito delicada. Com a morte do seu pai, e agora com o Rick interessado em se aproximar da sua mãe para tomar o lugar de "pai de família" não parece agradá-lo. Me parece que o garoto se sentiu ofendido com o fato do pai ter sido enterrado fora da cidade, haja vista que ele trabalhava lá como médico, enfim, não era um sujeito qualquer.

Quando Rick e Morgan encontram Ron perto da pedreira, Rick o agarra pelo braço e tenta lhe dar uma "lição de moral". Tal fato é comentado com sua mãe, que depois disse ao Rick que não quer que ele converse com o seu filho daquele jeito.

Ron tem outro motivo para se tornar um "garoto rebelde" ou coisa pior: ele esta com ciumes do fato do filho do Rick, Carl, estar se aproximando da Enid, a única menina de Alexandria (e diga-se de passagem, tem mais menino do que menina naquela "cidade" hahaha....).

Como se isto não bastasse há mais ainda um elemento: o garoto que flagrou a Carol roubando armas do arsenal na noite da festa (o mesmo que ficou pedindo biscoitos toda hora) é irmão mais novo do Ron e também filho do médico alcoólatra. Me parece que há mais um problema a se desenvolver aqui.

Tal como eu disse no início, Rick Grimes não é mais o mesmo policial do início da série. A bem da verdade, Rick está se transformando numa mescla entre o que era o Shane e o Governador: de um lado ele quer tomar para si a mulher do outro, de outro quer o poder sobre uma comunidade.

quarta-feira, 7 de outubro de 2015

Briga de casal

Quase todas as noites tenho que aguentar este tipo de coisa. Todo final de semana é certo de que algo do tipo acontecerá.

segunda-feira, 5 de outubro de 2015

Meteor Storm

Joguinho bobo, mas que gostava muito de jogar como "alternativa" àqueles que vinham com o Windows (Campo minado, paciência, etc...)

   

 Informações: 
Meteor Storm 
Version 1.0 
1995, Cosmi Corporation 
Programming by Ron Paludanb

sexta-feira, 2 de outubro de 2015

Gnochi

Fazer gnochi é simples, basta seguir a receita abaixo. Você vai precisar de:


  • 1kg de batatas
  • Sal a gosto
  • 1 gema de ovo
  • 1 colher de manteiga
  • 2 xicaras de farinha de trigo



Cozinhar as batatas com casca. Retire da panela, espere esfriar um pouco, descasque e passe pelo espremedor. Acrescente a gema, o sal e a manteiga e o trigo aos poucos. Faça uma massa.

Pegue pequenas porções da massa e abra em cima de uma pedra, fazendo cordinhas, corte em pedaços de 2 cm e coloque em um caldeirão com água fervente até subir. Vá reservando em uma travessa. Coloque o molho e sirva com pimenta.

Nota: dependendo da batata, pode necessitar mais ou menos farinha de trigo.

quinta-feira, 1 de outubro de 2015

Como passar suas fitas K7 para o computador




Quem baixa músicas pela internet nem imagina o que foi viver uma época em que você tinha que acompanhar a programação de uma rádio o dia todo só para apertar a tecla REC do gravador e ter suas músicas favoritas gravadas numa fita para ouvir a hora que quiser.


As fitas cassete (ou simplesmente K7) marcaram uma geração inteira. Não é de hoje também que vendedores de artigos pirata comercializam CDs e DVDs por aí; este tipo de prática já era existente desde a época das fitas K7.


Esta tecnologia foi sucessora dos discos de vinil. Também não é difícil entender o seu repentino sucesso, já que a fita K7 era bem mais compacta, portátil e resistente do que os delicados LPs. Além disso, a fita K7 oferecia uma gama de aplicações que ate então não eram viáveis. Sem a fita K7 é impossível imaginar a criação das famosas secretárias eletrônicas. Lembram delas?
Também dava para gravar musicas do radio. O pessoal que gosta de musica eletronica talvez nem se de conta que as primeiras mixagens "caseiras" eram feitas com aparelhos de fitas K7 com duplo deck.


A fita K7 não se limitou somente no campo do áudio, mas também na informática. Nos computadores mais antigos (dos anos 1980 e anteriores ao Pentium) usavam fita K7 para gravar arquivos e rodar programas, a partir de um leitor/gravador de K7 acoplado como periférico à maquina.


Infelizmente tem muita gente que jogou fora suas coleções de fita K7 ou substituiu seus arquivos pelos CDs dos anos 1990. Mas, se você é daqueles que possui gravações "especiais" das quais nunca quis se livrar de jeito nenhum, saiba que não precisa de muito conhecimento ou fazer grandes investimentos para passar suas gravações para o computador.


Então vamos aos passos! O abaixo é uma lista de materiais do qual você vai precisar:


  • 1 fita K7 da qual você vai copiar o áudio para o computador;
  • 1 computador com o aplicativo Windows Movie Maker da Microsoft. Os sistemas operacionais XP, Vista, Windows 8 possuem este aplicativo. Para versões mais antigas, você pode utilizar o gravador de som e salvar no formato WAV.
  • 1 placa de captura de vídeo e áudio. A que eu tenho é a EasyCAP, que é barata e pluga como USB.
  • 1 tocador de fitas K7. Eu utilizei um Walkman Sony FX-421.




Primeiro passo: verificação dos seus equipamentos


A primeira - e talvez a única - coisa que você deve se atentar é certificar-se de que seu tocador de fitas K7 está funcionando corretamente. Quando fui passar minhas fitas K7 para o computador, eu tinha em casa 3 aparelhos que podiam tocar fita K7, mas não estavam funcionando.


Peguei o walkman e o abri. Existe uma correia que liga o motor a uma polia que faz a fita K7 rodar dentro do aparelho. Muitas vezes esta correia se resseca com o tempo, estoura ou estica, não fica firme e dá a impressão de que o aparelho não funciona mais.


Se necessário substitua esta correia por um elástico comum de prender cabelo ou jornais. Isto seria para "quebrar o galho", uma vez que o ideal seria substituir a correia por uma outra original do fabricante. Mas convenhamos o seguinte: meu walkman foi fabricado em 1993 e estamos em 2015. Acho que o fabricante não vai ter mais dessas correias, certo?


Com tudo funcionando, insira a fita no lado A e rebobine ela. Deixe o walkman de lado por enquanto.




Segundo passo: crie um cabo de conexão entre o tocador de fitas K7 e a placa de captura


Agora vem uma parte difícil, mas nem tanto. Você vai precisar de um cabo que ligue o fone de ouvido na placa de captura. Em qualquer supermercado minimamente decente existe um setor de utilidades domesticas, onde você encontra desde tampa de ralo ate tachas de prego. É neste lugar que você encontrara o cabo de áudio e vídeo, cada qual com ponta vermelha e amarela.


Estes cabos são idênticos entre si, independente da cor que possui cada ponta. E não vamos precisar do cabo duplo, mas só um deles apenas. Corte uma das pontas, desencape o fio ate conseguir duas pontas.


Aqui você tem 2 opções:
Opção 1: comprar um desses adaptadores que você também encontra na mesma seção de utilidades no supermercado.
  

Opção 2: ir ate uma loja de pecas para eletrônica e comprar um plug de fone de ouvido. Se você fez isto, vai precisar soldar as pontas dentro deste plug (foi a opção que escolhi).
Terceiro Passo: Compre uma placa de captura.


Qualquer placa de captura serve para o propósito deste projeto. A que eu tenho é a EasyCAP, você encontra no Mercado Livre para comprar. 
 
Agora você já têm o tocador de fitas funcionando, um cabo que vai ligar o tocador na placa de captura e a placa de captura. Coloque a fita, conecte o cabo no tocador e na placa de captura e depois conecte a placa de captura no computador. Ligue o computador e abra o programa Windows Movie Maker. Se estiver utilizando o Windows XP, clique em arquivo e em seguida novo projeto. Na opção 1, clique em capturar de um dispositivo de vídeo.
Atenção! A placa de captura vai aparecer como se fosse uma "segunda webcam" do computador. Você vai ter que selecionar entre duas opções de câmeras da qual deseja gravar. A primeira geralmente é a webcam do computador. Se selecionar esta, vai aparecer a sua própria cara. Porém, não é desta câmera que vamos gravar o áudio que virá do tocador de fita K7. A opção correta será aquela em que a tela aparece em azul.
Enquanto a fita toca, você não vai ouvir o áudio que será gravado. Somente quando você clicar em "Stop Capture" é que a gravação termina e é importada para o Windows Movie Maker. é neste programa que você vai editar, ouvir e salvar os seus arquivos.


E porque a tela aparece em azul? O walkman só produz áudio, não tem imagem saindo dele. A tela azul significa que o computador não esta recebendo informações de vídeo, mas esta recebendo de áudio, então fique tranquilo.
Acredito que a forma mais prática é deixar o walkman funcionando direto e depois você utiliza o programa para editar o arquivo importado.
 
Lembre-se que ao salvar os arquivos você estará salvando como arquivo de vídeo (*.wmv ou *.mp4). Você pode converter estes arquivos em MP3 no website www.zamzar.org, se preferir.
Na época em que se faziam gravações em fitas K7 era muito comum as pessoas gostar de uma musica gravada sem saber de qual artista ou banda pertencia a autoria da musica. Para identificar uma musica você pode reproduzi-la no seu computador enquanto estiver acessando o site http://www.midomi.com/ ou o  http://www.musipedia.org/ media.io. Lá eles tem uma ferramenta que identifica uma musica a partir da reprodução de um pequeno trecho dela de até 12 segundos.
Importante!


A qualidade do audio vai depender da qualidade da fita cassete. Se a que você tem era de boa marca, sua música ficou bem conservada. Se era um lixo, sua música não ficou bem conservada.
Os vídeos abaixo são exemplos de fitas que passei para o computador:



Se tiver duvidas, deixe um comentário que tentarei ajuda-lo!