segunda-feira, 22 de setembro de 2014

Decepcao nas eleicoes brasileiras

Aecio Neves e' o retrato da decepcao para muitos dos que acreditam ainda que o PSDB e' uma via segura para evitar que o Brasil continue rumando pelos caminhos do totalitarismo cubano. Na verdade, Aecio esta' tendo o mesmo desempenho pifio - ou ate pior - que Jose' Serra, quando este ultimo foi candidato a presidencia da republica nas eleicoes passadas.

Ocorre que as pessoas ainda nao perceberam que ha' muito tempo so' temos partidos de esquerda para votar. A direita neste pais esta literalmente morta. Expulsa das academias onde triunfa Antonio Gramsci, nem mesmo as conversas que ocorrem dentro dos quarteis militares devem ser dignos de confianca, isto e', aos que desejam que este pais de uma guinada para politicas mais conservadoras.

Neves ate' agora nao condenou o sistema de compra de votos chamado "bolsa-familia", nao criticou o mensalao e ate' agora, o unico candidato que vi falar algo contra o Foro de Sao Paulo foi, acreditem, Levy Fidelix.

Na 'epoca em que Serra era candidato, este comportamento fraco me pareceu ser uma incompetencia apenas atrelada a sua personalidade. Entretanto, me parece agora que a falta de oposicao firme contra o PT por parte dos tucanos e' comportamento geral dentre os membros daquele partido, isto e', se e' que ainda existe um partido.

Aecio nao vai falar um piu contra o Foro de SP ou contra o PT porque seu partido faz parte desta esquerda revolucionaria. Ainda que os tucanos nao sejam signatarios do Foro, sao coniventes morais da agenda totalitarista cubana. Simples assim.

De fato, os tucanos sao a favor da proibicao das armas de fogo. De fato, os tucanos sao a favor do aborto e da legalizacao das drogas. Enfim, em todos os aspectos, as eleicoes brasileiras assumem este ano todas as caracteristicas de um golpe de estado.

sexta-feira, 12 de setembro de 2014

Ditadora Dilma, ditador Alckmin, enfim, so' ha' ditadores...

Ainda nao entendo o motivo pelo qual o Alckmin esta' disparado nas pesquisas. Volta e meia quando criticam a ditadora Dilma eu cutuco: e o ditador Alckmin? Vamos ficar com este cara por falta de opcao??? Ja' nao bastasse a crise da 'agua, me parece que as pessoas nao enxergam (ou ate' se recusam a enxergar) o quanto o Alckmin transformou a Policia Militar num instrumento particular de poder. Pois entao fiquem com a opiniao de quem e' da PM...
De fato, desde as manifestacoes de junho de 2013, quem acompanhou os protestos de perto como eu viram como a Policia Militar muitas vezes age sem houver motivo algum para tal. Foi o que aconteceu na noite de 5 de novembro de 2013. Naquela noite, uma manifestacao pequena circulou pela cidade e, uma vez estando as pessoas no cruzamento entre as avenidas Paulista e Brigadeiro Luiz Antonio, a PM fez um cerco em torno das pessoas. Ninguem estava esperando nada naquela noite. Naquele momento eu tambem imaginei que fossem fazer um discurso final e dispersar.
Num dado momento um rapaz soltou um rojao para o alto. Esta foi a senha para que, num movimento ensaiado, a PM avancasse sobre as pessoas e espancaram todos os que estavam ali. Tive a impressao de que os que haviam discursado naquela noite no megafone eram os alvos prioritarios, entre eles, o Piaui.

O comandante encarregado da PM naquela noite, Major Larry Saraiva, disse para o editorial Estadao que as cinco pessoas detidas haviam avancado sobre os policiais militares. Mentira!
Situacao semelhante ocorreu em 22 de fevereiro de 2014. O direito constitucional de manifestar a liberdade de expressao foi severamente pisoteado numa acao feita pela policia militar que decidiu agir antes que houvesse acoes de vandalismo. De fato, naquela noite, as acoes de vandalismo que ocorreram foi depois que a PM cercou e levou presas 230 pessoas. Foram 230 pessoas que foram arrastadas para as delegacias de policia sem que tenham feito NADA.
As manifestacoes, em geral, eram uma mistura composta de um grupo bastante heterogenio de pessoas. Em linhas gerais, digamos que dois grupos se destacavam mais: os militantes de partidos politicos e os black blocs, anarquistas que nao tinham vinculo com partido algum. Me parece que as incursoes da policia militar visavam prender os militantes de partido e deixar os black blocs correr 'a solta.

Por exemplo, no dia 15 de Outubro de 2013, enquanto uma manifestacao caminhava pela marginal pinheiros, na altura da loja Tok & Stok, uns 5 ou 10 black blocs comecaram a atirar pedras contra alguns policiais militares. Os policiais rapidamente cercaram a manifestacao e reagiram, atirando contra as pessoas tanto gas lacrimogenio que formou-se uma nuvem espessa de fumaca, dentro da qual ninguem conseguia respirar. Nunca houve uma intencao das pessoas de correr para dentro da loja, tal como disse o editorial Folha mais tarde daquela noite. E' que simplesmente nao tinha para onde correr. E, diferentemente do que as pessoas pensam, uma vez dentro da loja, alguns funcionarios estavam acenando para entrar, ofereceram agua. Um gerente indicou para sair pela parte dos fundos e nao autorizou a entrada da PM no estabelecimento ate' que todos saissem. A parte mais interessante daquela noite e' que, uma vez estando as pessoas na rua de traz, a policia voltou a atirar granadas (uma das quais acertou minha perna e a marca esta' ate hoje) e prenderam ali uns 10 ou 15 manifestantes que eram de partido politico. Mas, a esta altura, os black blocs ja' haviam percorrido toda a avenida Vital Brazil e foram na estacao de metro Butanta, onde quebraram pelo menos 3 veiculos e um onibus, alem de pichacoes. Houve tempo ate para que eles fizessem barricadas no meio do caminho com entulhos encontrados na rua, alguns inclusive ardendo em chamas. Quando a policia chegou ate o local nao fizeram nada e foram embora.

E' dificil extrair um entendimento claro do que se passa na cabeca dos comandantes da policia militar. Em linhas gerais, acredito que quando se tratava de militante de partido politico talvez houvesse uma orientacao para descer a porrada. Talvez, quando se tratasse de black bloc, ainda que tenha quebrado tudo, a orientacao fosse deixar eles correrem.

Com isto gostaria aqui de deixar dois raciocinios importantes: muito se fala que a legislacao brasileira e' fraca, mas quando a pessoa e' presa em flagrante, o tratamento que o detido recebe da justica e' bem mais severo. Todas as manifestacoes tinham contingente policial igual ou superior ('as vezes ate' o dobro) do numero de manifestantes. Numa situacao dessas, um banco e' quebrado e os policiais nao conseguem fazer uma prisao em flagrante? Duvido. Nao fizeram porque nao quiseram.

O outro raciocinio diz respeito a uma suposta ruptura entre PM e Secretaria de Seguranca Publica. No dia em que a concessionaria da Mercedes foi destruida numa manifestacao, a PM tinha feito um acordo com o MPL, lembram? Depois, o secretario Fernando Grella disse que nao sabia deste acordo e nao tinha autorizado-o. Que evidencia mais cabal temos de que o Alckmin nao apenas nao tem o controle da PM, bem como a PM nao quer ser controlada pelo Alckmin?

No dia 23 de Junho de 2014, houve uma mudanca radical de como as manifestacoes seriam vigiadas. Primeiro: a propria tropa de choque iria cercar as pessoas. Segundo: a PM nao faria as prisoes, elas seriam feitas pelos policiais civis do DEIC. Tal como disse o major Olimpio no video acima, a policia militar se recusa a se servir aos interesses politicos e particulares do ditador Alckmin, ao mesmo tempo que este esta' destruindo com a policia militar (e ja' teria destruido a policia civil)...

Com isto, tem-se que a situacao da policia militar em SP parece ser bem semelhante ao que ocorre com os policiais federais nas maos da ditadora Dilma Rousseff. Que sentido ha' condenar Dilma se Alckmin faz bolo com a mesma receita e ingredientes? Afinal, que logica ha' em condenar o aparelhamento politico da policia federal enquanto o Alckmin faz a mesma coisa? Me parece que a saida para ambos os casos seria os policiais decretarem a sua propria independencia ou agir no sentido de que ela seja concretizada. O ministerio publico, por exemplo, faz parte do poder executivo, mas nao recebe ordens do chefe do poder executivo. O mesmo nao ocorre com a policia que esta' inteiramente submetida ao poder executivo.

* * *

No fundo, aos que se interessam sobre o tema, cabe apenas o papel de especular sobre a situacao, ate' porque nao e' possivel para um policial ser entrevistado e falar livremente sobre seu trabalho. Facamos aqui uma comparacao com o que ocorre nos EUA. No dia 26 de julho de 2009, um policial chamado James Crowley prendeu um professor da Universidade de Harvard chamado Henry Louis Gates numa acao em que o professor foi confundido por estar invadindo uma residencia. Ocorre que a casa era sua e Obama disse que a prisao teve motivacoes racistas porque Gates era negro. No dia seguinte, todos os policiais da cidade de Cambrige se reuniram na presenca da imprensa e o proprio sargento Crownley disse que o presidente Obama devia um pedido de desculpas a todos os policiais do pais pelos comentarios que fez. Me parece que aqui no Brasil, a policia e' chamada de facista e o sujeito nao pode sequer responder e dizer o que pensa. Enquanto nao tivermos uma policia que diga o que pensa, continuaremos tateando o escuro.

segunda-feira, 8 de setembro de 2014

Sobre mascaras nos protestos - minha opiniao

Quem me conhece sabe que estou longe de ser uma pessoa de perfil proibicionista. Entretanto, e' evidente que certos grupos de interesse - independente de ser interesses sinceros ou nao - quiseram transformar as manifestacoes numa nova forma de guerra.

Estas pessoas, norteadas por pensamentos ultra-radicais, nao faziam grandes planejamentos no inicio das manifestacoes. Ao contrario do que a midia convencional informa, os 'adeptos' do black bloc jamais "invadiram" manifestacao alguma (sao eles quem organizam...). Porem, tenho a impressao de que a hora inicial da concentracao de pessoas e' momento chave que define como sera' o fim da noite dessas pessoas: de volta pra casa ou na delegacia. Se a manifestacao e' pequena, aumentam-se as chances de terminar sem confronto. Se a manifestacao e' grande, aumentam-se as certezas de que havera' confronto.

Infelizmente nao anotei o nome do blog que certa vez vi e que aparentava recrutar essas pessoas, mas la' tinha uma frase que era mais ou menos assim: "quem quiser entrar pra 'luta' tem que estar seguro de que vai entrar em confronto com a policia, pois o dever era combate-los" (enfatizo: mais ou menos assim).

Portanto, existe um determinado grupo de pessoas que nao vao a uma manifestacao, mas a um combate. As "manifestacoes" (eu prefiro dizer "teatro de operacoes", quem e' militar vai entender...) seguiam seu curso com a mistura de tres tipos de individuos: os policiais militares (obvio), os manifestantes que pretendiam confrontar a policia e outros manifestantes que estavam ali tambem por motivos politicos. A impressao que sempre tive das pessoas deste ultimo grupo e' de que eles nao tinham a "coragem" de confrontar os policiais, mas estavam ali para dar uma "cobertura" ou um volume na manifestacao.

Com isto o ciclo se fecha: ninguem nas manifestacoes e' inocente. Ha' o que provoca, o que xinga. Cretinos e infratores da lei existem de ambos os lados, tanto nos manifestantes, mas tambem na PM.

Em algumas ocasioes, a PM deu mostras de acreditar que a midia alternativa tinha conexao direta com o Black Bloc. Eu particularmente nunca tive. Outros caras que conheci tambem nao. Por exemplo, um sujeito que conheci comecou a se focar nisso porque gostou do sucesso que sua pagina teve. Outro ainda aproveitava o tema para fazer trabalhos no curso de jornalismo que faz ou fazia. Isto sem mencionar um outro que faz "fotos artisticas" de manifestantes e favelas e vende cada foto por R$ 900,00. Tem muita emocao no meio e a adrenalina te domina. Chega-se a um ponto que voce se pergunta porque faz aquilo e a resposta, seja qual for que vier, nunca faz muito sentido. Acho que e' o vicio mesmo. So' teve um sujeito que chegou pra mim e disse que fazia transmissoes ao vivo e se aproveitava de certas ocasioes para atacar a policia. Sobre este ultimo, o que dizer? O sujeito nao esta la' para testemunhar, registrar, reportar... usa-se de uma cobertura para fazer ataques. Imagino que o Hamas tenha seus homens-bomba disfarcados de jornalistas tambem...

Quando a lei antimascaras foi aprovada pensei, que merda, agora os canalhas vao querer censurar tudo. Sou muito desconfiado com relacao a tudo o que ocorre na politica. Fato e' que se o profissional de imprensa nao usar certos equipamentos de seguranca, simplesmente sua presenca no local representa um risco para si.

Foi o que ocorreu com o fotografo Sergio Silva. Ser fotografo no Brasil ja' e' uma profissao de merda e ver aquele pai de familia perder o olho foi uma coisa que me despertou um odio dentro de mim. Acho que este foi um dos motivos pelo qual comecei a ir nessas manifestacoes.

Antes de 2013 nunca tinha experimentado uma situacao que me forcasse a comprar oculos antibalistico e mascara antigas. Hoje carrego na perna uma marca de um estilhaco de granada que jogaram na minha direcao, ha' quase um ano.


Eu sou favoravel 'a proibicao das mascaras. Acho que quem quer protestar deve faze-lo de cara limpa. Mas vamos ver agora o que ocorre, pois sou a favor que jornalistas, fotografos e cinegrafistas as usem. E isto independente do profissional ser da grande midia ou da midia alternativa. Do jeito que as coisas sao no Brasil, o mais provavel seja que as mascaras sejam permitidas apenas para as pessoas da Globo e o resto que se dane. E chamam isso de preservar a liberdade de expressao. Palhacada....


Link recomendado:

segunda-feira, 1 de setembro de 2014

Quick notes about my visit to US

Quick notes about my visit to US

As I was flying back to Brazil, an American from Florida sits next to me. In an 8-hour-flight, there isn’t much to do. As he noticed I was reading a newspaper article about Obama “not being tough enough”, we start talking to each other. I was returning home. He was coming to meet his business partner that owe money to him. It didn’t take too much time for us to
start talking about politics.

He told me he considered Putin as a great son of a bitch, that the Islamic State may not be as worse as mainstream media reports and he feels there might be a exclusive group of people who runs the president in the White House.

I told him that similar thing is already happening in Brazil. That our president Dilma Rousseff is a former communist terrorist, a bank robber and possible performed torture during her guerrilla times. I also told that she had make an agreement with Cuba and Brazil pays up to R$ 20,000 (which is about $10,000) for each doctor Fidel Castro send to Brazil
to “work”.

Right instantly, he reacted in a way that I probably will never forget. He literally jumped from his seat and said “what!?”. I don’t think he ever knew about an organization called “Foro de Sao Paulo”. Not only because what happens in South Americas doesn’t call so much attention in Western media as a whole, but I’m convinced today that some of crimes against humanity that takes place in Middle East might serve as distraction from what people really should be concerned with.