domingo, 31 de janeiro de 2016

Oração da Graça Imediata




Ó Nossa Senhora Aparecida,
Mãe Querida;
Ó Santa Rita de Cássia,
dos casos impossíveis;
Ó São Judas Tadeu,
dos Casos Desesperados;
Ó Santo Expedito,
dos Aflitos e da Última Hora;
Vós que conheceis meu coração angustiado,
intercedei junto ao Pai nesta minha
grande necessidade: (Pedir a graça)
Eu Vos glorifico e Vos louvo; Sempre
curvar-me-ei diante de Vós; Confio em Deus,
com todas as minhas forças, e peço que Ele
ilumine o meu caminho e a minha vida! Amém.


Rezar o Pai Nosso, a Ave Maria e o Glória ao Pai.


Atenção: Reze por três dias seguidos e para propagar deixe 100 santinhos destas orações em qualquer lugar que tenha bom fluxo de pessoas. Observe o que acontecerá a partir do quarto dia. Por mais difíceis que sejam, quase sempre as graças são alcançadas.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2016

Faça um gerador de energia eólica com motor de passo




Não é necessário muito vento para produzir energia elétrica. A quantidade de energia aqui é para acender alguns leds (portanto, não vai achando que vai iluminar a casa inteira, o bairro onde mora ou coisa do tipo com o projeto que está apresentado aqui).


Peças:
Para este projeto você vai precisar de:

1 motor de passo – o meu eu retirei de uma impressora Epson. Toda impressora, scanner ou fax tem um motor de passo dentro.
1 hélice – a minha hélice foi feita de 4 latas de alumínio (pás/aletas) coladas com silver tape numa outra lata (rotor).
4 leds e um pequeno pedaço de placa de fenolite universal (esta placa você não precisa, mas se tiver ajuda na hora de instalar)
1 suporte – peguei uma caixa de um antigo roteador. Ainda usei dois espaçadores para deixar o motor de passo instalado por cima da caixa.
1 pedaço de 2 cm de tubo de combustível
1 suporte de pedra de esmerilhar ou lixa de aço para furadeira

No meu caso, a maioria dos “ingredientes” acima foi retirada de antigos aparelhos, inclusive os leds, eu não comprei um único componente, exceto o suporte de furadeira. Procure fazer este gerador só com componentes recuperados de outras coisas, assim você ajuda na reciclagem e a preservar a natureza.


Montagem
Com o motor de passo em mãos você precisa descobrir quais são os pares de fios em que surge uma diferença de potencial (energia) quando você gira o eixo do motor de passo. Para isso, pegue um led e vai conectando ele nos fios e testando. Se você retirou o seu motor de passo de um aparelho qualquer sem remover o conector de plástico que está instalado na ponta dos fios então fica mais fácil descobrir quais são estes pares.

Uma vez descoberto estes fios, o passo seguinte é fazer a conexões com os fios. Para acender os 4 leds, cada par de fio possui dois leds associados em paralelo, conforme a imagem a seguir:

Esquema de ligação do circuito dos leds com o motor de passo


Repare que o 5º e o 6º não estão ligados em nada. O motivo é que quando girei o motor não surgiu nenhuma energia nestes dois fios (o led ficou apagado).

Esta montagem pode ser feita conectando-se os fios, mas eu preferi soldar tudo numa placa de fenolite universal, pois desta forma eu não precisei cortar o conector original que veio na ponta dos fios do motor de passo, de forma que posso reutilizá-lo para fazer outras coisas, se preferir, ou ainda melhorar este projeto.

Deste ponto, o passo seguinte foi montar uma base de apoio para o motor. Para esta base, usei uma caixa de um antigo roteador que eu tinha. Esta caixa também serve como abrigo para a placa de fenolite e ajuda a esconder os fios. Os dois espaçadores permitem que o motor seja instalado do lado de fora. Fiz também 4 furos na caixa para colocar os leds e eles ficaram presos com cola quente.

O motor de passo vem instalado com uma engrenagem. Se você for comprar na loja, ele vai ser vendido sem a engrenagem. Esta engrenagem é meio difícil de remover, sendo necessário o uso de uma micro retifica. Mas ao invés de removê-la, percebi que o diâmetro dela era quase igual ao diâmetro do suporte da furadeira que vem por cima. Então, para juntar os dois, resolvi fazer isso com um pequeno pedaço de mangueira de combustível. Esta mangueira você encontra em qualquer loja de autopeças, mas, se não quiser comprar isto também, vá até uma oficina e peça por um pedaço de mangueira que já tenha sido usada que está de bom tamanho.

Feito isto, o passo seguinte é fazer a hélice. Procure uma lata grande, pois esta lata precisa segurar as pás da hélice e também abrigar o motor de passo que ficará no interior da lata. A lata vai ser instalada de ponta cabeça. Portanto, precisa ser feito um furo do fundo da lata, bem ao centro. Deixe para instalar esta lata no motor de passo depois que as pás da hélice estiverem prontas.

As pás da hélice são feitas de alumínio e são 4 no total. Penso que se você fizer 8 pás vai obter uma eficiência maior. Prender estas pás na lata maior é um desafio. Eu fiz isto com fita Silver Tape, pois ela adere muito bem. As pás precisam estar curvadas, de modo que, quando o vento passar pelo gerador, são elas que vão fazer o motor de passo girar, independente da direção em que o vento está vindo.

Feito isto tudo, basta instalar a hélice pronta no suporte de furadeira e pronto! Seu gerador eólico está pronto!

Se você for fazer este projeto e precisar de alguma dica (ou até mesmo me mandar uma dica também), não deixe de fazer seus comentários abaixo!

quarta-feira, 13 de janeiro de 2016

Precisamos falar sobre os Black Blocs

Durante o período de quase um ano, entre 2013 e 2014, e depois de acompanhar mais de 70 manifestações, pude conhecer boa parte das pessoas que fizeram parte delas, ou pelo menos, sei bem mais que a maioria dos veículos de comunicação. Por isso, me irrito um pouco com o grave desconhecimento de alguns amigos meus sobre o assunto. 

Quando os Black Blocs protestam contra o PT, Haddad e Dilma, quase nada sai na imprensa. Só a parte do “Fora Alckmin” aparece.

Os líderes desses black blocs já devem ter mudado nesta altura do campeonato, mas na época em que eu ia às manifestações como observador, as três figuras mais influentes tinham idades de 16, 17 e 19 anos, todos de periferia. Destes, dois procuravam emprego em junho de 2013 e um terceiro pediu as contas de onde trabalhava porque havia virado anarquista convicto. Sua mãe, dentro do período de um ano, foi buscá-lo na Fundação Casa mais de 6 vezes.

O que alimenta esta fúria, este ódio que existe nas ruas é a falta de crescimento econômico. Estas manifestações não são orquestradas pelo PT, como se imagina, mas são sintomas de uma doença grave na sociedade. Todos estes jovens foram criados sem a presença de um pai de família. Suas mães, até onde pude descobrir, apoiam que os filhos se manifestem. Me parece até que eles são os machos que as mães nunca tiveram…

Ninguém reparou, mas simultaneamente ao surgimento dos Black Blocs, teve também os Rolezinhos, como proposta de ação anticapitalista dentro de shoppings. Um olhar atento permite que a única diferença é que o Black Bloc anda mascarado enquanto que os jovens dos rolezinhos não andavam mascarados. Naquela época, Netinho de Paula conseguiu cooptar 2 dos líderes dos Rolezinhos para a organização “Juventude Comunista”, sendo que o terceiro, que se recusou, acabou morrendo num baile funk… coincidência

O PT nunca descobriu quem são os líderes do Black Bloc. Não sei se a Polícia Civil sabe, acho que sim. A PM sempre soube. Em algumas vezes eles deixaram de deter estes rapazes, ao que me parece, de propósito. Noutras, espancaram um deles até cair no chão, e foram “visitar” a casa dos outros dois, sendo que a irmã de um deles acabou ganhando um soco na cara porque não queria abrir a porta da casa sem ordem judical, segundo eu soube.

Ainda em 2013, a Polícia Militar fez uma primeira visita e eles próprios reconheceram que a investida teve propósito “amigável”. Nestas visitas, os PMs teriam pedido que parassem de xingar os policiais quando estivessem em serviço e que parassem de quebrar as coisas nas ruas. O pedido não foi atendido.

Estes jovens, basicamente, se dividem em dois grupos o black bloc propriamente dito, composto por jovens com alguma insegurança ou insatisfação em suas vidas particulares. Mas há ainda o “Front Bloc”, que são as pessoas com disposição à violência. São estes que chegam com paus, pedras, estilingues, canos, molotovs, rojões e toda sorte de objetos com propósito de ferir. E, quando não levam é porque sabem que vão arrumar alguma pedra numa caçamba.

Estes do Front Bloc são a elite. Ele tem influência sobre alguns amigos e os traz para as manifestações. A maioria destes moleques estuda na rede pública. Até certo ponto, organizam-se em “células”. Por exemplo, toda vez que um moleque é arrastado até a delegacia de policia, ele sai de lá com um boletim de ocorrência, que depois põe no Facebook e exibe como uma espécie de diploma de graduação, como quem chega para seus amigos e diz “vejam, eu lutei contra o sistema”.

As balas de borracha e gas lacrimogenio são provavelmente a pior forma de conter estes caras. Cada marca feita no corpo é exibida quase como uma medalha. Por outro lado, acho que o melhor método mesmo é atravez do grito. Certa vez vi um comandante do Choque berrar para um moleque que ameaçou quebrar uma vidraça com um pau. Imediatamente, o PM percebeu que ele estava querendo tomar a liderança e berrou “LARGA ESSA MERDA!”. O moleque, humilhado perante seus amigos, não fez outra coisa senão obedecer o PM.

O PT fez suas tentativas de descobrir quem eram estes jovens. COlocavam militantes do PT no inicio das manifestações para olhar, conversar e fazer amizades. A maioria nem chegava perto deles porque já vinham com camiseta vermelha do partido, e eles detestavam isso. A bem da verdade, quando tinha alguma manifestação “anti-copa”, os black blocs eram detestados pelo pessoal do PSTU PSOL e PCO e vice versa. Brigas entre Black Blocs e alunos da USP são provavelmente mais frequentes do que com a PM.

No que diz respeito ao MPL, todo mundo se lembra de quando a Dilma chamou a lider para uma reunião em Brasília em 2013, esta voltou de lá e resolveram parar com as manifestaçoes. Os Black Blocs continuaram sozinhos por quase toda a metade de 2013. Existe uma estranha confiança entre o MPL e o Black Bloc. O MPL não é própriamente anarquista, mas conta com seus próprios punks. Na verdade, quando quiseram trazer o Movimento Passe Livre para São Paulo, uns dirigentes se encontraram com uns punks que eram de um tal grupo chamado Movimento Punk Libertário (MPL). Mudaram o nome, mas permaneceram com a sigla.


O PT jamais quis estas manifestações durante o ano eleitoral e um cientista político sincero analisaria que estas manifestações fizeram mal para o PT e foi bom para o Alckmin (que estava com imagem politica comprometida por causa do cartel). A Dilma mandou o ministro Gilmar Mendes para fazer duas reuniões em São Paulo, ambas organizadas na Casa de Portugal, com propósito de atrair estes black blocs para a reunião. Alguns foram, levaram faixas e começaram a agitar dentro da reunião. Enfim, não há o que se enganar a respeito os black blocs podem ser os militantes que o PT sempre quis ter, mas definitivamente o PT é o partido que eles mais odeiam.

Quando alguém toca neste assunto, e digo aquilo que sei em função de ter sido testemunha dos fatos, com frequencia sou confundido como uma espécie de porta-voz destas pessoas: EU NÃO SOU ANARQUISTA e sim, abomino a violência que eles promovem.

domingo, 10 de janeiro de 2016

Recessão favorece planos do PT e Foro de São Paulo

E' grave a informação trazida pelo jornal O Estado de S. Paulo neste domingo a respeito do aumento do número de famílias que entraram com pedido de receber benefícios do programa Bolsa Família.

Como se sabe, este programa não passa de uma forma legalizada de compra de voto: o governo beneficia uma família que deixa de continuar trabalhando e, em troca, está família - geralmente numerosa - vota nos candidatos petistas nas eleições. Apesar desta negociação não ser oficializada em contrato ou termo de compromisso, o que se vê desde que o Lula chegou ao poder e' o continuísmo do seu partido no poder desde 2003, além de ameaças e mensagens de conteúdo de terror psicológico que são enviadas aos celulares dos beneficiados se não fizerem tudo o que está ao seu alcance para eleger petistas na sua região sob a pena de ser expulso do programa. 

Práticas sorrateiras como estás podem não surtir efeito aos que são instruídos, mas aos desprovidos de estudos e de fontes de informação, o medo de ser expulso do Bolsa Família e' um medo constante, real e bem assustador.

Isto e' o que tem acontecido até hoje. Mas agora, com a recessão econômica, o PT pode se beneficiar mais com o aumento de pessoas desempregadas.

Está crise pela qual passamos - vale relembrar - e' eminentemente política. O investimento externo simplesmente não existe mais. Os investidores - internos e externos - já dão por certo que investir aqui e' o mesmo que perder dinheiro a toa. Abandonadas pelos credores, as empresas ficam sem opções de contrair crédito para financiar a expansão de sua capacidade produtiva, haja vista que a taxa de juros brasileira e' a mais alta do mundo.

O cenário de incerteza já atingiu o consumo: as pessoas estão assumindo postura mais conservadora na hora da compra, atendo-se somente as necessidades básicas, deixando de consumir para poupar, sem saber se continuarão ou não empregadas nós próximos tempos.

Aos que foram mandados embora recentemente estão sacando suas poupanças e vivem de fazer bicos e favores para poder viver.

Me parece que os desesperados que estão entrando com pedido para receber o dinheiro do Bolsa Família são deste grupo acima mencionado. A pergunta que fica e': o que farão estas pessoas depois que entrar no programa? Será que vão votar no PT também para não perder o benefício? O governo federal aposta que sim.

A bem da verdade, estamos como rãs numa panela de água fervente. Dizem que se você jogar uma rã numa panela de água quente ela pula pra fora na hora. Porém se você jogar a rã numa panela de água fria e deixá-la ao fogo para ferver aos poucos, está rã não percebe que a água está ficando quente aos poucos e, de repente, morre cozida. Este e' o nosso caso. Estamos nós acostumando aos poucos a viver neste calvário, deixando-nos rumar silenciosamente pelo caminho da ditadura comunista/bolivariana enquanto que já passou da hora do Lula estar preso na cadeia e a Dilma impedida de continuar na presidência da república.