quinta-feira, 13 de fevereiro de 2014

Sobre a suposta "bolsa-manifestação"

Até hoje não vi - ou desconheço quem tenha visto - alguém pagar para ir nas manifestações. É o tipo de bravata que o alto escalão dos interesses políticos soltam para dividir a população ou atacar a credibilidade de um outro grupo em ascensão. Em 1932, por exemplo, a bravata era que o Estado de São Paulo queria ser uma nação independente, quando na verdade defendiam a criação de uma constituição, numa época em que não havia uma. As bravatas são tão eficazes que até hoje há quem acredite nisso...