segunda-feira, 22 de fevereiro de 2016

Como destruir uma sociedade para depois tomá-la - segundo Yuri Bezmenov



Yuri Bezmenov nasceu na Rússia, foi oficial da Novosti (uma agência ligada à KGB) e a profissão que possuia é no mínimo curiosa para os padrões ocidentais: planejar a destruição de uma sociedade para garantir a expansão soviética pelo mundo.

Durante a guerra fria, os russos sabiam que não tinham como competir com as forças ocidentais por meio das armas. Então, sua estratégia foi fazer uso da subversão cultural, ou seja, subverter os valores de uma sociedade para que ela própria se auto destruísse. Ele garante, que os russos não inventaram a subversão cultural: está até na Bíblia. Sim, quando Paulo escreve uma de suas cartas, sugere que um grupo de cristãos está sendo manipulado por pessoas de má índole.

É assim que se subverte uma sociedade: um grupo de pessoas com más intenções e bem organizadas se apresentam como representantes de certa autoridade e investem na ação de confundir as pessoas quanto aos valores morais que deveriam preservar.

Bezmenov trabalhava na Índia, e tornou-se fã da cultura indiana quando resolveu fugir para o ocidente e deserdar. Teve que se disfarçar de hippie e conseguiu chegar na Grécia. Uma vez lá, procurou uma embaixada americana e se apresentou como oficial da agência Novosti, um "braço" da KGB. A Novosti, segundo ele, realiza estudos sobre uma determinada cultura, examina as fraquezas da população-alvo, os intereresses dos grupos políticos, etc. Dalí de dentro da agência ele conta que foi o autor de diversos artigos publicados em revistas e jornais no ocidente que continham mentiras sobre o comunismo, no sentido de ocultar crimes contra a humanidade e realidade da situação degradante dos povos sucumbidos pelo poder soviético. Contou ainda que havia um processo sobre como subverter uma sociedade e que todos os países do ocidente estavam sujeito às ações do que era planejado dentro da Novosti.

As tabelas abaixo mostram um resumo de como funcionava este processo de subversão. Se você conseguiu identificar um palalelo com o que acontece no Brasil ainda hoje, é porque o Foro de São Paulo ocupou o vácuo deixado pelos soviéticos.

PROCESSO DE SUBVERSÃO SOCIALISTA
Yuri Bezmenov, 1983



DESMORALIZAÇÃO
15 A 20 ANOS
ÁREA
MÉTODOS
RESULTADOS
Idéias
Religião
politizar, comercializar, descaracterizar
desapego à vida
Educação
permissividade, gramscismo
ignorância
Imprensa
monopolizar, manipular, desacreditar
desinformação
Cultura
falsos heróis, novos modelos morais
massificação, vícios
Estrutura
Lei e Ordem
imoralidade no legislativo
descredibilidade
Sociedade
confusão entre direitos e deveres
irresponsabilidade
Segurança
apologia ao crime, relatividade moral
violência
Política interna
promoção de antagonismos
desunião
Vida
Família
fragmentação
ausência de lealdade
População
deslocamento migratório, urbanização
alienação
Trabalho
sindicatos contra a sociedade
vitimização

2 A 5 ANOS
ÁREA
MÉTODOS
RESULTADOS
Estrutura de poder
criação de órgãos artificiais na sociedade
erosão do governo
Economia
radicalização no processo de negociação
confronto constante
Imprensa
posição oposta à sociedade
alienação

CRISE
2 A 6 MESES
Os orgãos artificiais estabelecidos anteriormente reivindicam direito ao poder, contam com o respaldo nas demais ações cumulativas precedentes. A sociedade não funciona mais produtivamente, o governo entra em colapso e a população demanda uma solução.


NORMALIZAÇÃO
Eliminação ou ostracização dos responsáveis pela desestabilização e crise, consolidação de um estado socialista (ditadura), estabelecimento de uma nova elite burocrática.