segunda-feira, 19 de outubro de 2015

Just Survive Somehow #TheWalkingDead #S6E02

Tal como já era esperado, a “turma dos lobos” constitui numa ameaça com a qual os habitantes de Alexandria tiveram que lidar. Mas este último episódio não se tratou deste bando de loucos, e sim sobre os moradores de Alexandria. Se a morte do Pete pode ter dividido aquela comunidade de Alexandria, agora com este ataque certamente seus habitantes ficarão mais unidos. Este último episódio mostrou o quanto as pessoas podem mudar completamente diante das dificuldades e quando querem. Na ausência do Rick Grimes, Daryl, Abraham, Michonne e Sacha, o restante do grupo sabe sobreviver muito bem. Ou pelo menos tentam. Vejamos caso a caso:

Morgan: de um assassino arrependido passou a compreender que certas pessoas simplesmente não merecem viver ou são perigosas demais para tal. Quando ele deixou viver duas pessoas que tentaram agredi-lo quando estava só no meio da mata, decidiu faze-lo para não viver com a consciência pesada (ou mais pesada do que já deveria ser). A título de comparação, a Carol compreende muito bem que há certos tipos com os quais não se deve se envolver, tanto que resolveu matar a menina antes que ela se tornasse uma sociopata.

O padre Gabriel deu uma reviravolta surpreendente e foi pura verdade quando admitiu que o que ele disse à Deanna dizia respeito a si e não ao Rick. Seu gesto de ter pedido ao Carl para ensiná-lo a sobreviver, e este ter respondido que começariam com uma machette, remete à situação de quando ambos estavam dentro da igreja, sozinhos apenas com a Michonne e a Judith enquanto o resto do grupo foi à Atlanta e a outra parte foi em direção a Washington. Me parece que o padre finalmente superou o choque que teve por ter sido o único de sua congregação a sobreviver e de ter visto Gareth e outros sobreviventes de Terminus terem sido esfaqueados dentro da igreja. Mas sua aproximação com Morgan pode estragar este crescimento pessoal. Carol serviria melhor como guia do que Morgan.

Já a Deanna é uma líder nata e seu único defeito foi ter passado tempo demais dentro de Alexandria cuidando da gestão da comunidade e das pessoas. Ela não tem medo e vai evoluir muito pela frente. Mas isto não elimina uma eventual disputa entre ela e Rick sobre quem continuará na liderança de Alexandria. Mas é bem provável que tal disputa nem venha a acontecer: apesar de ambos terem perdido seus cônjuges, os dois ainda têm filhos e este tipo de prioridade vem antes do ego. 

Ron não aceitou a morte do pai, não aceita a aproximação de sua mãe com o Rick e, para piorar, se sente frustrado pelo fato da Enid estar mais interessada no Carl do que nele. O lado “bom” é que, aparentemente, Enid não quer ficar em Alexandria, ao passo que o bilhete que ela deixou para o Carl (“Just Survive Somehow”) mais parece uma nota de despedida do que um conselho dado por escrito. Se ela realmente fugiu, é possível que Ron vá atrás dela.