terça-feira, 1 de abril de 2014

Ato contra o Golpe de 1964

O ato contra os 50 anos do golpe militar reuniu entre 250 a 350 pessoas no vão livre do MASP, hoje em São Paulo. O Partido da Causa Operária - PCO foi o mais presente. Feministas, MST, anarquistas, adeptos do Black Bloc, Unidade Vermelha, descendentes de torturados pelo regime, entre outros, compuseram a marcha.

Confira na íntegra o discurso de João Xavier Fernandes, presidente do Sindicato dos Escrivães de Polícia do Estado de São Paulo - SEPESP, fez comentários bastante inflamados contra José Serra, acusando-o de ter sido covarde em ter fugido pro Chile, uma vez que ele era o presidente da UNE na época.




Veja algumas fotografias:

  

  

   

 

 


Opinião: na minha opinião, é um absurdo que numa cidade com quase 20 milhões de pessoas como São Paulo, tão poucas pessoas encontrem motivos para participar das manifestações, seja contra ou à favor do golpe. Reparem que na Marcha da Família os números não foram tão grandes. Interessante observar a completa ausência do PT nessa manifestação, bem como do PSTU, PSOL e PCdoB. Tinha um cara ou outro sim, mas era só uma meia dúzia de gatos pingados. Da mesma forma, quase nem foram militares na Marcha da Família, exceto uma coronel Glória, de quem nunca ouvi falar. 

A conclusão que chego é que houve algum tipo de acordo, entre a esquerda e os militares, para não participar das manifestações.