segunda-feira, 21 de abril de 2014

Mercenários treinam PM e PF para coibir ações "antiterroristas" durante a Copa.

Quem são os mercenários? São pessoas que receberam treinamento militar, mas, insatisfeitos com o salário que recebem nas forças armadas, estes pedem dispensa para trabalhar para empresas privadas. Tais empresas, com acordos bilionários com o governo americano, oferecem melhores condições de salário para aqueles que se aventuram em missões de risco. Para o governo, acaba saindo mais barato terceirizar uma guerra do que mandar suas próprias forças oficiais. Os mercenários transformaram-se numa "nova tendência" de guerra desde a última década e foram muito utilizados em operações no Iraque e Afeganistão.

Por se tratar de empresa privada, eles não respondem por crimes de guerra. O militar, quando mata alguém, tem que prestar satisfações aos seus superiores e isto pode afetar a carreira (nos EUA, evidentemente). Vários oficiais britânicos e americanos tiveram que responder, tanto em tribunais como no senado, por crimes de tortura, e isso manchou a imagem dos exércitos desses países. Como solução, foram criadas empresas privadas, como a Black Water e a XP, e os "colaboradores" podem matar quantos quiser e jamais irão a julgamento.

A novidade agora é que, segundo noticiou a Folha de São Paulo, uma empresa de mercenários está treinando Policiais Militares e agentes da Polícia Federal para conter ações antiterrorismo na Copa (ou seja, conter manifestações...). A empresa que se chama hoje "Academi", também era conhecida por "Black Water", anos atrás.

Ainda segundo o mesmo editorial, todo o curso foi pago pelo governo americano, num suposto acordo internacional de cooperação entre os dois países. Ao que parece, a polícia brasileira vê vantagens em fazer parte de programas como combater criminosos terroristas da Al-Qaeda e desmantelar explosivos improvisados (IDE em inglês). Entretanto, o Brasil jamais teve problemas dessa natureza e sinceramente duvido que a Al-Qaeda tenha interesse em atacar o Brasil, já que a organização foi desmantelada, encontra-se morta ou presa em Guantánamo e seu líder, Osama, já está morto e até teve seu cadáver jogado no mar. Portanto, e se não é para desativar IDE ou combater a Al-Qaeda, a questão que permanece: quem são os "terroristas" que a polícia está preocupada em combater durante a Copa?



FOLHA DE SÃO PAULO. Paramilitares americanos treinam policiais brasileiros para a Copa. MELLO, P. C.:21/04/2014. Disponível em: <http://www1.folha.uol.com.br/cotidiano/2014/04/1443261-paramilitares-americanos-treinam-policiais-brasileiros-para-a-copa.shtml>. Acesso em: 21/04/2014.